A campanha do Inter até as finais da Copa do Brasil – NoroesteOnline.com

A campanha do Inter até as finais da Copa do Brasil

10 de setembro de 2019
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Nesta quarta-feira, na Arena da Baixada, o Inter inicia mais uma decisão pela Copa do Brasil. O mata-mata desta vez vale o título de campeão. Para conquistar o bicampeonato, os comandados de Odair Hellmann terão pela frente o Athletico-PR. Às vésperas do jogo de ida das finais, a Rádio Grenal relembra os feitos da campanha colorada até aqui.

Oitavas de final

Na estreia da equipe na competição, o Inter venceu o Paysandu por 3 a 1 e abriu grande vantagem nas oitavas de final da Copa do Brasil. No Estádio Beira-Rio, diante de 15 mil presentes, Paolo Guerrero, duas vezes, e Rodrigo Lindoso marcaram os gols do colorado, e Micael descontou para os visitantes.

O jogo: dever de casa e classificação encaminhada

Guerrero marcou duas vezes, e Inter estreou com vitória na Copa do Brasil. Foto:(Ricardo Duarte/S.C.Internacional)

O Internacional manteve a boa fase no Beira-Rio e emplacou a quarta vitória consecutiva jogando em casa. Como tem sido o panorama dos jogos em Porto Alegre, a equipe de Odair manteve o controle da partida durante os 90 minutos, e seu o luxo de desperdiçar várias chances de gol.

Em lance perigoso na primeira etapa, D’Alessandro cobrou falta com categoria e acertou a trave. Na volta, a bola ainda tocou nas costas do goleiro Mota e saiu pela linha de fundo. A sequência foi com o gol que abriu o placar: Guerrero começou a jogada no meio-campo e se apresentou na área. O centroavante recebeu a terceira assistência de Nico López, tirou o defensor e não perdoou.

A movimentação na partida era intensa. Após o gol do peruano, Iago recebeu cruzamento em diagonal e cabeceou para o fundo das redes, mas a arbitragem assinalou posição irregular do lateral e anulou o lance. Em seguida, foi a vez do Paysandu ter o gol invalidado, depois da cobrança de falta da direita e o desvio de Diego Rosa para as redes, mas também em impedimento.

No segundo tempo, não demorou para os visitantes empatarem o placar. Bruno Collaço cruzou da esquerda na direção de Micael, que ganhou de Cuesta no alto e mandou de cabeça par o fundo das redes. O empate no marcador obrigou Odair a promover a primeira alteração – Guilherme Parede na vaga de Zeca, com Edenílson sendo recuado à lateral-direita. E a substituição deu rápida resposta. D’Alessandro cobrou escanteio, Emerson Santos desviou e Rodrigo Lindoso, livre, recolocou o Inter na frente.

O jogo se encaminhava para os instantes finais, enquanto a equipe colorada empilhava chances de gols. Em mais uma alteração do comandante vermelho, o Inter fechou o placar. Rafael Sobis entrou no lugar de D’Alessandro e cobrou escanteio na cabeça de Guerrero, que subiu mais alto e marcou de cabeça. O sétimo gol do atacante em 10 jogos disputados com a camisa colorada.

Decisão da volta: classificação tranquila e gol no apagar das luzes

Guerrero marca mais uma vez, e Inter se classifica na Copa do Brasil. Foto: (Ricardo Duarte/S.C.Internacional)

Tecnicamente, o Internacional sobrou contra o Paysandu no Beira-Rio, e, da mesma forma, no Mangueirão. Logo nos primeiros minutos, a dobradinha Nico-Guerrero apareceu na partida. O uruguaio recebeu lançamento nas costas da defesa e deixou de calcanhar para o centroavante, que dominou na área, driblou o marcador e acertou o ângulo do adversário. A arbitragem, no entanto, assinalou posição irregular de Nico López e invalidou a jogada. Na sequência, Edenílson cobrou falta na área do Paysandu, e Emerson Santos cabeceou para fora, levando muito perigo ao goleiro Mota. Com pouca movimentação e a partida dominada pelo Inter, o fato mais relevante antes do intervalo foi o cartão amarelo recebido por Bruno Oliveira, que, posteriormente, viria a ser expulso no jogo.

O começo da segunda etapa foi movimentado, quando o Paysandu tentara o abafa para buscar o primeiro gol. Nicolas, de cabeça, colocou Marcelo Lomba para fazer grande defesa. No rebote da jogada, Paulo Rangel finalizou de dentro da área, mas o goleiro colorado fez outra boa intervenção. Momentos depois, Bruno Oliveira recebeu o segundo amarelo e foi expulso, deixando os mandantes com 10 em campo. Antes, Odair colocou Sarrafiore na vaga de Nico López.

Sem grandes sustos, o jogo se encaminhava para o final. D’Alessandro ganhou a vaga de Guilherme Parede, que perdeu chance na cara do goleiro, mas foi abafado por Mota. E a presença do ídolo argentino foi fundamental para o gol da vitória colorada. No apagar das luzes, o camisa 10 achou Sarrafiore no lado direito, que escorou na direção do centro da área, onde Guerrero finalizou, acertando o ângulo. Oitavo gol do peruano com a camisa do Internacional, em 12 jogos disputados. Inter classificado com tranquilidade.

Quartas de final

A fase de quartas foi a fase que mais mexeu com as emoções dos torcedores, mas que garantiu confiança e reergueu o espírito do clube.

O jogo: Inter perde para o Palmeiras e buscará classificação no Beira-Rio

Colorado amargou um 1 a 0, em partida contra o Palmeiras. Foto:(Ricardo Duarte/S.C.Internacional)

O Internacional retornou aos gramados depois do recesso da Copa América com uma derrota. Nesta quarta-feira (10), o Colorado amargou um 1 a 0, em partida contra o Palmeiras — que conquistou a vitória pelos pés de Zé rafael. O jogo realizado no Allianz Parque, em São Paulo, marcou a ida das quartas de final da Copa do Brasil. Ou seja, nada está definido. A decisão sobre quem passa para a semifinal da competição será disputada no Beira-Rio, na próxima quarta-feira (17).

No primeiro tempo, o equilíbrio permaneceu. As duas equipes marcavam muito, dificultando as chances do adversário de sair para as jogadas. Guerrero aparecia para tentar buscar a bola, mas o zagueiro Luan acompanhava o atacante de perto. Aos 12 minutos, Edenílson conseguiu cortar uma chegada que poderia ser o gol paulista, com Zé Rafael.

Mas o Palmeiras não desanimou e seguiu tentando. Apenas cinco minutos depois, conseguiu. Bruno Henrique recebeu na direita e colocou na área, para ele: Zé Rafael. O meia cabeçeou forte e não deu para Marcelo Lomba. Palmeiras 1 a 0 sobre o Inter.

Aos 22, Nico López chegou batendo forte na bola, mas Weverton espalmou ela, mandando para fora. O palmeiras revidou e tentou com Dudu, mas a bola ficou na marcação. Na sequência, muitas faltas e poucas jogadas efetivas. Felipe Melo chegou a levar cartão amarelo, por lance com Nico López. Zé Rafael até tentou chegar bem novamente, mas mandou para fora. Víctor Cuesta também foi amarelado no final da etapa inicial, por falta em Deyverson.

Com muitas reclamações e finalizações sem efetividade de ambos os lados, o árbitro Wilton Pereira Sampaio apitou o final do primeiro tempo. Palmeiras 1; Internacional 0.

A etapa complementar já iniciou com modificação na equipe do Inter: D’Alessandro no lugar de Nonato. Aos cinco, susto para os colorados. Zé Rafael voltou a chegar pela esquerda. Mas o goleiro Marcelo Lomba salvou! O Inter conseguiu criar mais jogadas ofensivas, porém também sentiu alguns contra-ataques. O ídolo Guerrero acabou aparecendo pouco no segundo tempo.

Felipão fez mudanças em sua equipe: Raphael Veiga no lugar de Lucas Lima. Nico López chegou duas vezes ao gol de Weverton, mas bateu fraco. O atacante acabou sendo substituído por Rafael Sóbis — que em poucos minutos já recebeu cartão amarelo por reclamação.No lado do Verdão, outra troca. Após sentir, Felipe Melo saiu mancando, para a entrada de Thiago Santos.

Com o Palmeiras conseguindo administrar a vitória, mas sem novas boas finalizações, a partida se encaminhava para o final. O autor do gol palmeirense, Zé Rafael, foi substituído por Willian. Aos 39, Luan recebeu cartão amarelo e, logo em seguida, foi a vez de Moledo ser amarelado. Odair Hellmann fez uma última tentativa, colocando Parede no lugar de Guerrero.

Porém, aos 49 minutos, o árbitro Wilton Pereira Sampaio finalizou a partida decretando a derrota do Inter por 1 a 0.

Decisão da volta: Inter derrota Palmeiras nos pênaltis e se classifica para a próxima etapa da Copa do Brasil

Foto:(Ricardo Duarte/S.C.Internacional)

Odair Hellmann, além de estar atrás no placar, ainda contou com um desfalque importante no grupo: Rodrigo Dourado não entrou em campo. O volante sentiu o joelho no último treino e teve que ser substituído por Lindoso. Além disso, o Palmeiras não perdia desde abril, contabilizando 17 jogos de invencibilidade.

Apesar das dificuldades, o Inter começou o primeiro tempo mostrando a vontade de virar o placar. Aos três, o Colorado já chegava com Guerrero e D’Alessandro. O time de Felipão não conseguia ditar o ritmo da partida e o grupo de Odair Hellmann mostrou superioridade ao longo de toda a etapa inicial, Com maior posse de bola, também era o Internacional que finalizava mais.

E foi no folêgo de insistir na ofensiva que o time da casa achou seu gol. Edenilson conseguiu recuperar a bola e chutou, ficando para Patrick o rebote. Ele bateu e, mesmo desviando em Luan, conseguiu marcar. Inter 1. Palmeiras 0. Já nos últimos minutos, o Verdão até chegou bem com Dudu, mas Marcelo Lomba não deu chance, defendendo.

Para o segundo tempo, o Palmeiras mudou: começou com Moisés no lugar de Lucas Lima. Mas, é o Inter que continua indo pra cima e preocupando Weverton. Após cruzamento de Lindoso, Nico López bate e o goleiro do time paulista defende. No rebote, ele salva de novo o Verdão da vitória colorada.

Uma confusão em campo paralisou a partida e rendeu cartão amarelo para Dudu e Nico López. O Internacional chega bem novamente com Cuesta, mas Weverton salva — e a arbitragem anula o lance por impedimento. Odair decide tirar Nico, para a entrada de Rafael Sóbis. O Palmeiras segue com dificuldades para criar e recebe dois cartões amarelos em sequência para Luan e Gustavo Gómez. Aos 30 minutos, novas trocas em ambos os lados: Carlos Eduardo no lugar de Deyverson; e Nonato substituindo Bruno.

Uma esperança para o Palmeiras surgiu nos minutos finais da partida. Edenilson chegou marcando Felipe Melo que caiu na área e o árbitro Rafael Traci marcou o pênalti. Mas, após consulta ao VAR, ele entendeu que não houve nada e seguiu o jogo. Cartão por atitude inusitada já aos 40: marcos Rocha empurra um gandula e é amarelado.

E foi faltando três minutos para o final do confronto, já contando os seis de acréscimo dados pela arbitragem, que o Inter se viu perto da vitória. Em cobrança de escanteio, o Inter balançou as redes com Cuesta. Porém, o VAR chamou o árbitro para revisar a jogada e ele anulou o gol. Durante a conferência do lance, D’Alessandro levou o segundo amarelo, por reclamação, e foi expulso. Mais três minutos foram dados de acréscimo, mas o jogo foi para os pênaltis.

Paolo Guerrero foi o primeiro a enfrentar Weverton e marcou para o Inter. Na primeira cobrança Palmeirense, o capitão Bruno também converteu. Sóbis foi o segundo a cobrar para o Colorado e chutou no meio, forte, sem chance para o goleiro. Já na vez de Gustavo Gómez, foi Marcelo Lomba quem brilhou, chutando para fora. Endenílson fez para Inter e manteve a vantagem. Na sequência, Diogo Barbosa fez e Lindoso também. Luan poderia ter antecipado a vitória colorada, mas após a bola bater no travessão, ela entrou. Patrick bateu mal e Weverton acertou o canto. Willian tirou Lomba da jogada, fez o gol e deixou tudo igual.

Nas cobranças alternadas, Nonato colocou a bola no canto direito, Weverton acertou o lado, tocou na bola, mas não conseguiu tirar. Moisés deveria fazer para manter o Palmeiras vivo na busca pela vaga. Porém, ele colocou a bola no travessão e o Inter garantiu a vitória e a classificação para a semifinal da Copa do Brasil.

Semifinal

O jogo: Inter vence Cruzeiro fora de casa e está com um pé na final da Copa do Brasil

Foto:(Ricardo Duarte/S.C.Internacional)

O gol demorou, mas veio! O Internacional venceu o Cruzeiro no primeiro jogo das semifinais da Copa do Brasil. A partida aconteceu no Mineirão e o placar ficou em 1 a 0. O gol foi marcado por Edenilson aos 30 minutos do segundo tempo.

Mas, além de contar com o volante, Odair Hellmann começou a partida escalando Rodrigo Lindoso — ele era dúvida por causa de uma lesão. O técnico também colocou Rafael Sobis para substituir D’Alessandro, que está suspenso.

A partida começou disputada e a torcida do Cruzeiro fazia muito barulho e tentava empurrar o time. Porém, p ponteiro marcava 10 minutos e nenhuma finalização havia se concretizado.

Mas a Raposa tentava pressionar, e teve maior posse de bola — chegou a ficar com 73%, aos 15 minutos. Já o Inter se defendia com todos os atletas atrás da linha da bola. E as finalizações? Nenhuma. Os dois times não chegavam com perigo.

A primeira etapa se resumiu em muitos lançamentos e as duas equipes esperando o erro do adversário. Aos 32 minutos, Nico López ousou. Ele pegou a bola no meio do campo e, percebendo a posição de Fábio, arriscou, mas chutou para fora. Aos 35, mais um escanteio para o Cruzeiro, o segundo do jogo e do time. Mas as tentativas não levavam perigo algum. A Raposa, aos 37 minutos, tentou com Sassá. Ele chutou, mas acabou saindo sem direção.

O Cruzeiro acabava tomando as rédeas da partida, mas, pela falta de espaço na intermediária, alçava muitas bolas para a grande área: sempre sem sucesso. Aos 40, mais uma vez Sassá tentou. A bola acabou indo por cima do gol de Lomba. O Colorado também tentou: aos 42 minutos, Guerrero tocou para Uendel e cruzou. A bola, antes de chegar a Edenilson, foi cortada por Dodô. A tentativa de ataque mais perigosa do Inter no jogo.

No segundo tempo, nenhuma das equipes se modificou. Não demorou muito para o Cruzeiro começar a atacar. O chute de Thiago Neves foi para fora. Em outra tentativa, de Sassá, Cuesta deu um carrinho e travou o chute. A primeira troca do Inter veio aos 14 minutos. Saiu Nico López e Wellington Silva entrou (o uruguaio não marca desde o dia 3 de abril).

O Colorado, no segundo tempo, subiu mais a marcação e acabava pressionando a saída de bola do Cruzeiro. As finalizações continuavam não acontecendo. Mas, aos 25 minutos, Fábio evitou o gol colorado. Wellington Silva chutou forte e o goleiro adversário fez um milagre.

Depois, Guerrero tentou e mais uma vez ele, Fábio, fez grande defesa. A sequência de chances foram as melhores da partida. E, depois disso, o gol veio aos 30 minutos. Após cobrança de falta de Guerrero, Fábio fez uma  grande defesa, mas, no rebote, Edenilson mandou para o fundo das redes. Cruzeiro 0, Internacional 1.

Edenilson, ao fazer o gol, sentiu dores na coxa direita e saiu para a entrada de Nonato. Odair também tirou Sobis para a entrada de Sarrafiore. O Cruzeiro, precisando do gol, tentou aos 44 minutos com Pedro Rocha. Ele entortou Wellington Silva e chutou, mas a bola saiu. E ficou assim, o Inter saiu em vantagem pela busca do bicampeonato da Copa do Brasil.

Decisão da volta: Inter goleia Cruzeiro e está na final da Copa do Brasil

Foto:(Ricardo Duarte/S.C.Internacional)

O Inter está na final da Copa do Brasil. O time colorado fez um belo jogo e marcou 3 contra o Cruzeiro, que ficou com o placar zerado, nesta quarta-feira (04), no Estádio Beira Rio, em Porto Alegre. Agora, a final será decidida em dois jogos com o Athletico-PR, que venceu o Grêmio também nesta quarta, em Curitiba. As partidas acontecem nos dias 11 e 18 e a ordem dos locais será divulgada nesta quinta (05).

Com a torcida animada e um público de mais de 44 mil torcedores, o jogo no estádio Colorado começou quente e o Inter mostrou que entrou para vencer, em um jogo muito movimentado. No primeiro tempo, o Inter atuou no 4-1-4-1, com D’Alessandro pela direita e Nico pela esquerda. A equipe adiantava as linhas para tentar pressionar a saída de bola do Cruzeiro.

Aos 11, chance de gol para o Internacional: Guerrero vai ao círculo central receber a bola e passa para Nico López, que avançou com espaço e finalizou com chute forte de canhota. Quase que o Inter marca! O Colorado tenta, mas aos 15, Cuesta antecipa já em campo de ataque, ameaça chute e finaliza também de canhota, mas a bola passa muito perto da trave defendida por Fábio.

O Internacional dominou completamente o primeiro tempo, liderado por Nico López e com um meio campo muito sólido e concentrado, focando em resultados. Já o Cruzeiro estava completamente tonto com a pressão do time Colorado. O técnico Rogério Ceni tentou escalar um time rápido, deixando o centro avante Fred no banco, mas não conseguiu um bom resultado. Nas poucas vezes que o Cruzeiro atacou, foi sempre buscando a jogada final com rapidez. Já Thiago Neves, que é o criador do time, pegou pouco na bola.

Aos 19, mais uma clara oportunidade de gol para o Internacional: D’Alessandro cobra para Guerrero, que recebe completamente livro e escora para Lindoso. Ele domina na grande área, mas finaliza fraco, com defesa tranquila da Fábio. Nos 24 minutos, o Cruzeiro faz boa jogada, com Robinho fazendo uma inversão pelo alto, nas costas de Bruno. Mas Dodô não consegue dominar.

Com 27 minutos, uma dividida com Nico López deixa Pedro Rocha no chão, que recebe atendimento médico e volta para o jogo logo em seguida. Já em 30 minutos de partida, em um drible, Nico cai e pede pênalti, mas o árbitro manda seguir a partida.

O Cruzeiro cresce um pouco no jogo e aos 32 quase marca na goleira Colorada. Thiago Teves quase marcou gol em um chute de fora da área. A bola passou muito perto! O jogo fica mais cadenciado após a primeira metade de partida e o Cruzeiro equilibra a posse de bola. Já com mais calma, trocou passes com mais frequência no campo de ataque, mas o Inter se defendeu bem.

Nico fez um ótimo primeiro tempo, fazendo dribles e procurando todas as jogadas. Pareceu estar mais confiante após quebrar o jejum de 24 jogos sem marcar. E o Inter tanto pressionou, que conseguiu! Paolo Guerreiro marcou aos 39 e abriu o placar.

O Cruzeiro voltou com mudanças para o segundo tempo. Saiu Dedé, zagueiro direito, e entrou Ariel Cabral, voltante. Mas o Inter queria mais! Nos quatro minutos, Nico entrou na área fazendo fila, mas Henrique desarmou o uruguaio, que ficaria cara a cara com o goleiro Fábio.

Aos oito, mais uma possibilidade de gol: Patrick finalizou forte, mas pelo lado de fora da rede. Já em seguida o Cruzeiro erra na saída e Guerrero encontra Nico na esquerda, que finaliza firma para a boa defesa do goleiro cruzeirense.

O Inter tentou, tentou e levou mais um! Aos 25, com um belo chute de Guerrero, o Colorado marca mais um, garantindo a vaga para a final da Copa do Brasil. Golaço! Nessa etapa, o Cruzeiro precisaria de três gols para levar para os pênaltis.

Aos 30 os dois times fazem mudanças. O Inter tira D’Alessandro e coloca Rafael Sobis e o Cruzeiro substitiu Robinho por Éderson. Ainda assim, o Internacional não deu chance de recuperação para o Cruzeiro, que estava deserganizado após sentir o segundo gol do adversário.

Nos 34 minutos surge uma chance de gol para o time cruzeirense, com Thiago Neves recebendo de David, que dominou e arriscou com a perna direita, mas tocou para cima do gol.

Aos 42, Nico López, que fez uma grande partida, é substituído com dores na perna esquerda, para entrar Nonato.

Aos 43, para tirar de vez o sonho do Cruzeiro de disputar a final da Copa do Brasil, Edenílson marca mais um para o Inter, decretando a classificação e a ida às finais.

Final contra o Athletico-PR

Com a conquista da vaga às finais, o colorado irá disputar o título contra o Athletico-PR. A primeira decisão ocorre nesta quarta-feira, às 21h30, na Arena da Baixada. A finalíssima está marcada para o dia 18, na quarta-feira seguinte, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

Fonte: O Sul

Workshop de Ideação e Intervenção Urbana Binacional

16 de setembro de 2019
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados
Skip to content