FAO e países lusófonos impulsionam agricultura familiar

 – NoroesteOnline.com

FAO e países lusófonos impulsionam agricultura familiar



20 de julho de 2019
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Foi anunciada, nesta quinta-feira (18), a criação de um centro de treinamento para promover a agricultura familiar sustentável. A iniciativa foi pela Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), a criação de um centro de treinamento para promover a agricultura familiar sustentável.

O centro pretende visar a cultura da mandioca, do café, cacau, caju, peixe, da carne e dos laticínios, além de frutas e vegetais. O objetivo do centro, que será localizado no país africano São Tomé e Príncipe, é promover a troca de conhecimentos entre técnicos, professores de escolas agrícolas e pequenos produtores. Para impulsionar a participação dos pequenos produtores e técnicos rurais na formulação de leis sobre agroecologia e agricultura familiar, o projeto tem investimentos de cerca de 400 mil dólares.

A FAO e os países lusófonos consideram que o bem-estar dos pequenos produtores e dos agricultores familiares é fundamental para a coesão social, o desenvolvimento rural e a preservação dos ecossistemas. De acordo com o diretor-geral da FAO, José Graziano da Silva, os sistemas alimentares não vão mudar somente com a tecnologia, mas com mudanças nas leis e na pesquisa.

Agricultura familiar
A agricultura familiar é o cultivo da terra realizado por pequenos proprietários rurais, geridos por famílias. A grande diferença desse tipo de agricultura é a diversidade de sua produção e a relação do agricultor com sua terra e moradia. Além disso, a agricultura familiar usa pouco ou nenhum agrotóxico, diferentemente das grandes empresas e propriedades do meio rural.

EAD UNIJUÍ

31 de julho de 2019
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados
Skip to content