Pejuçara prospera com agricultura forte – NoroesteOnline.com

Pejuçara prospera com agricultura forte

27 de julho de 2018
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A qualidade de vida em um município perpassa pelo desenvolvimento econômico e neste contexto a agricultura tem papel fundamental. No mundo inteiro há exemplos concretos dos benefícios gerados pelo esforço do poder público para a permanência, fortalecimento e desenvolvimento da agricultura, mas é no município que a manutenção das atividades inerentes ao setor primário tem papel vital.

O município de Pejuçara é essencialmente agrícola, mantém cultivares no solo o ano inteiro e para obter resultados não se abastem de mecanização moderna e uso de tecnologias no campo. Tudo conduzido por mais de 500 agricultores, produtores rurais que diuturnamente labutam para tirar da terra o que ela tem de melhor, desta forma, contribuindo sobre maneira para o desenvolvimento do próprio setor agrícola, e também de outros segmentos como comércio e a indústria. O setor agrícola responde atualmente por 84,01% da arrecadação de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS no município o que equivale a uma arrecadação anual de R$ 4,7 milhões oriundos do setor primário.

Pelas mãos dos agricultores, na última safra de verão 2017/18 o município de Pejuçara obteve uma das melhores médias de produção chegando a 66.6 sacas de soja por hectare numa área total de 30 mil hectares cultivados, destes, três mil irrigados. No total foram produzidos 123 mil toneladas do grãos, conforme a Emater. A pecuária também se destaca principalmente na produção leiteira. Dados da Emater apontam que o rebanho de 1.832 cabeças de gado em 78 propriedades rurais produziu 11 milhões e 500 mil litros de leite em 2017.

O município de Pejuçara está situado no planalto médio e possui 414km². Com população próxima de 4 mil habitantes, o município tem na agricultura sua mola propulsora da economia. É uma cidade conhecida como Terra da paz, da amizade, da religiosidade e da boa comida. Nestes 52 anos de história, caracteriza-se também, como “una terra felice”, cidade empreendedora do Noroeste Colonial gaúcho, marcas construídas por seu povo ordeiro e trabalhador. O empreendedorismo dos primeiros colonizadores e de seus descentes, italianos, alemães, poloneses e afrodescendentes contribuiu para que a colônia prosperasse, o distrito se tornasse município e se expandisse. “Um trabalho feito por várias mãos, integrando campo e cidade”.

Pós-Graduação Unijuí

3 de dezembro de 2018
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados
Skip to content