Produtores de São Paulo das Missões implantam forragens para alimentação animal – NoroesteOnline.com

Produtores de São Paulo das Missões implantam forragens para alimentação animal

9 de maio de 2020
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Cinco mil mudas de BRS-Kurumi e 1.500 mudas de BRS-Capiaçú foram distribuídas a produtores de leite, pecuaristas familiares e piscicultores de São Paulo das Missões. Somente nesta semana, 50 produtores retiraram as forragens, que serão aproveitadas para alimentação do rebanho leiteiro e de corte.

Alguns produtores haviam realizado a encomenda de mudas, mas após o corte, houve grande disponibilidade de mudas, podendo-se ampliar a distribuição a um maior número de interessados. Diante da grande quantidade disponível, a Emater/RS-Ascar, parceira da Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, a Prefeitura e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais realizaram a divulgação via rádio, oferecendo as mudas aos produtores interessados. As mudas foram retiradas no Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar, assim como entregues nas propriedades, com o apoio da Prefeitura.

BRS Capiaçú
Para a disseminação de BRS Capiaçu, contou-se com os primeiros exemplares cedidos pelo agricultor Marcelo Stracke, de Salvador das Missões, e multiplicados pelo extensionista da Emater/RS-Ascar, Canísio Ittner Berwaldt, em São Paulo das Missões, chegando-se a 1.500 mudas.

De acordo com Berwaldt, o BRS Capiaçu é muito interessante para produção de silagem, com possibilidade de três cortes ao ano e diferentes formas de aproveitamento, podendo ser fornecida picada verde no cocho para animais com 50 a 70 dias de idade, ou na forma de silagem, com 110 dias, além de ser interessante para a formação de barreira quebra vento.

A cultivar foi obtida a partir do Programa de Melhoramento do Capim-Elefante, conduzido pela Embrapa Gado de Leite, de Juiz de Fora (MG), resultando em um híbrido com um excelente potencial produtivo, de bom valor nutricional e de baixo custo em relação às cultivares tradicionais. Trata-se de uma planta ereta, resistente ao tombamento e de porte alto, chegando a cinco metros de altura.

A distribuição de mudas na região de Santa Rosa ganhou força em final de 2018 e se intensificou ainda mais em 2019, com o pontapé inicial sendo dado no município de Senador Salgado Filho. Cada produtor recebeu em torno de 70 mudas do capim e foi desafiado a devolver o dobro de mudas. A produção foi maior do que o esperado e, com isso, foi possível replicar para outros produtores. Assim, em torno de 400 mudas foram distribuídas em uma corrente que chegou a 44 municípios da Fronteira Noroeste e das Missões, conforme relata o extensionista do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar, Jorge João Lunardi.

BRS-Kurumi
As mudas de Kurumi foram encomendadas junto à Afubra, em Rio Pardo, pelo extensionista da Emater/RS-Ascar. Em um primeiro momento foram implantadas nos entornos e nos maciços de açudes, com a intenção de alimentar peixes da espécie carpa-capim. “Parte do capim formou talo, podendo ser usado como mudas, e está sendo disponibilizado aos produtores de forma gratuita”, explica Canísio ao lembrar que também é possível fazer mudas através da divisão de touceiras, sendo que quando é cortado periodicamente não forma talo.

O BRS Kurumi, desenvolvido pela Embrapa, se destaca pelo alto potencial de produção de forragem e excelentes características nutricionais, com menor necessidade de uso de concentrado, e é muito aproveitado na alimentação animal, como também em casos de pastejo direto de bovinos de leite e corte, alimentação de carpa capim acima de 300 gramas e criação de frangos a pasto.

EaD UNIJUÍ – 100% a distância

12 de maio de 2020
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados
Skip to content