Sinais ajudam no diagnóstico precoce da Diabetes – NoroesteOnline.com

Sinais ajudam no diagnóstico precoce da Diabetes

14 de novembro de 2019
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Atualmente, aproximadamente 13 milhões de brasileiros convivem com o diabetes, doença que causa insuficiência de insulina, responsável por regular a glicose no sangue e garantir que o organismo tenha energia diariamente. Os dados são da Sociedade Brasileira de Diabetes. Neste dia 14, é instituído o Dia Mundial do Diabetes.

Nove em cada 10 casos são do tipo 2 da doença, que não tem cura, somente tratamento para melhorar a qualidade de vida e evitar outros tipos de doenças relacionadas, como problemas no coração, rins, olhos e nervos.

Sinais

Como os sintomas são silenciosos, seus sinais geralmente aparecem por conta de outros tipos de alterações, como sede excessiva, aumento do volume de urina e apetite, além de infecções recorrentes e que demoram para serem curadas. Além disso, há outros sintomas como mudanças de humor, fadiga, náuseas e vômitos.

Uma das maiores preocupações dos médicos é com relação aos rins, responsáveis por ajudar a remover os resíduos do sangue. Basicamente, a alta concentração de açúcar no sangue faz com que os rins filtrem mais sangue. Essa sobrecarga provoca doença renal que, dependendo do estágio, pode ser fatal.

Por isso, além do diagnóstico precoce por um médico especialista, são necessários alguns cuidados com a qualidade de vida, regulando uma dieta saudável, aliada a exercícios físicos.

Mitos e crendices sobre diabetes

“Existem dois pontos importantes que geram muitas discussões e que estão ligados a crendices populares. O primeiro é que “criança com diabetes não pode comer doce”. Imaginem a angústia de uma criança na festa de aniversário de um amiguinho sem poder provar o bolo ou algum doce?! Pacientes com diabetes podem comer qualquer tipo de alimento, desde que na hora e quantidade certas. Para isto, é essencial o acompanhamento de um nutricionista”, esclarece o pediatra Wallace Gaspar, que também é endocrinologista pediátrico pelo HUPE/UERJ.

A segunda crendice, entre tantas existentes, é que “criança com diabetes não pode praticar esportes, pois pode passar mal”. Outro mito equivocado que deve ser esclarecido aos pais. “A prática de atividade física é uma grande aliada, melhorando os índices de controle de diabetes. Para isto, é necessário que se converse com o endocrinologista da criança, que irá realizar as recomendações adequadas para cada situação, de acordo com horário e tipo de atividade”, destaca o especialista.

Fonte: O Sul

Vestibular de Medicina UNIJUÍ 2020

29 de novembro de 2019
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados
Skip to content