Solidariedade marca o trabalho na FGTAS durante a pandemia – NoroesteOnline.com

Solidariedade marca o trabalho na FGTAS durante a pandemia

26 de maio de 2020
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A pandemia do coronavírus alterou as práticas e as rotinas do trabalho desenvolvido na Fundação Gaúcha do Trabalho e Ação Social (FGTAS), mas também despertou a solidariedade em todas as áreas em que a instituição atua, desde o atendimento oferecido nas Agências FGTAS/Sine passando pelo Vida Centro Humanístico e pelo Programa Gaúcho do Artesanato (PGA).

Para o diretor-presidente da FGTAS, Rogério Grade, embora a pandemia tenha provocado o distanciamento físico entre as pessoas como medida de prevenção ao coronavírus, também houve a aproximação e a união de esforços em prol do trabalho e da solidariedade.

De 23 de março a 8 de maio, o atendimento presencial esteve suspenso como medida de prevenção ao coronavírus nas Agências FGTAS/Sine, no Vida Centro Humanístico e no  Programa Gaúcho do Artesanato. No período, foi estabelecido o regime de teletrabalho e mantido o atendimento à população por telefone, Whatsapp e e-mail, além dos canais digitais. Ao todo, foram prestados 17.372 atendimentos na modalidade de trabalho remoto, o que equivale a uma média de 620 atendimentos diários.

De acordo com a chefe da Seção de Apoio ao Trabalhador Desempregado, Carla Fontoura, a pandemia reforçou a necessidade de realizar o trabalho em conjunto, estratégia fundamental para atender à grande demanda de ações relacionadas ao benefício do seguro-desemprego, por exemplo.

“Contamos com o auxílio extra de colegas de Agências e de outras duas Seções para conseguir dar conta da quantidade de e-mails e telefonemas. Isso gerou uma reflexão em todos do poder da grupalidade, do trabalho em conjunto e da resiliência em um momento tão complexo. A quantidade de ligações e de e-mails foi assustadora e foi inevitável o engajamento da equipe em horários além do comercial, ainda em fins de semana e feriados para dar conta do recado. A recompensa para isso não tardou a chegar. Agradecimentos que contribuíram, e muito, para afastar a ansiedade e dar lugar ao alívio, deixando a sensação de que fizemos o nosso melhor para amenizar a pressão do momento vivido por muitos desempregados”, disse Carla.

O atendimento presencial foi restabelecido, no dia 5 de maio, em sete Casas de Artesão (Alegrete, Caxias do Sul, Carazinho, Santiago, São Leopoldo, Venâncio Aires e Rio Grande) e, no dia 11 de maio, nas Agências FGTAS/Sine. Atualmente, 126 Agências dispõem de atendimento presencial. Em Porto Alegre, esse serviço é oferecido, exclusivamente, nas Agências FGTAS/Sine Centro (rua José Montaury, 31) e Zona Norte (av. Baltazar de Oliveira Garcia, 2.132).

No interior do Estado e na Região Metropolitana, permanecem fechadas as Agências FGTAS/Sine de Gravataí e de Lajeado. Os atendimentos por meio dos canais virtuais nessas localidades seguem normalmente. Os endereços e contatos das unidades estão disponíveis no site www.fgtas.rs.gov.br.

O funcionamento de todas as agências coordenadas pela FGTAS é de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h. É permitida a entrada e permanência de público equivalente ao número de atendentes da FGTAS disponível nas unidades. É obrigatório, ainda, o uso de máscara e distância de, no mínimo, dois metros entre os trabalhadores que aguardam atendimento nas filas que se formarem eventualmente. Para evitar aglomerações, solicita-se que, preferencialmente, os trabalhadores agendem o atendimento.

Todos os atendimentos estão cumprindo as normativas do Ministério da Saúde e os decretos do governo do Estado que determinam cuidados com ambientes, higienização e disponibilização de equipamentos de proteção individual (EPIs). Para garantir a segurança e preservar a saúde dos servidores, a direção da FGTAS, através do Departamento de Materiais, forneceu álcool gel e papel toalha, além de protetores faciais adquiridos na compra coletiva de EPIs realizada pelo Estado via Seplag/Celic e máscaras de tecido produzidas por artesãos cadastrados no Programa Gaúcho do Artesanato.

Conforme a coordenadora do Departamento de Materiais, Luciana Anversa, está em andamento o processo de compra de acrílicos de proteção para os guichês de atendimento das Agências FGTAS/Sine. “A compra já foi autorizada e estimamos que, até o fim de junho, os acrílicos possam estar nas unidades de atendimento. Essa barreira irá potencializar a proteção dos colegas que realizam atendimento ao público”, destacou.

Ao todo, os artesãos cadastrados no Programa Gaúcho do Artesanato forneceram 469 máscaras de tecido para os servidores das Agências FGTAS/Sine e 165 para a Fase. Um grupo de artesãos de Guaíba, Esteio, Porto Alegre, Campo Bom e Sapiranga, denominado Corrente do Bem, produziu e doou 300 máscaras para crianças atendidas pelo Instituto do Câncer Infantil. Outro grupo da Casa do Artesão de Alegrete doou mais de cem máscaras para trabalhadores de limpeza urbana, coleta, iluminação pública e cemitério do município.

No Vida Centro Humanístico, os alunos do curso de customização de roupas do Centro da Juventude Rubem Berta trocaram a produção de peças novas pela confecção de máscaras para familiares, integrantes da Brigada Militar e entidades assistenciais da zona norte da capital. A meta é produzir e distribuir 2 mil máscaras por mês. Interessados em contribuir com a produção de máscaras podem doar tecidos (tricoline e algodão 100%), linhas e elásticos. Basta entrar em contato pelo celular/Whatsapp (51) 99305-7939.

Também no Vida, a Fundação Maçônica Educacional realiza a entrega mensal de cestas básicas para famílias de imigrantes que residem no entorno do espaço administrado pela FGTAS. Doações de alimentos, roupas e móveis podem ser efetuadas diretamente para o Grupo de Voluntários Família Imigrante, que está sediado na sala 803, área 8, do Vida (av. Baltazar de Oliveira Garcia, 2.132 – Porto Alegre).

O Clube de Mães Jardim da Colina também realiza doações de cestas básicas. Até o momento, foram doadas 40 cestas para vítimas de violência domésticas e está prevista a doação de mais 70 para pessoas que buscam atendimento de assistência social. Quem quiser fazer doações para o projeto pode entrar em contato pelo telefone (51) 99341-6787.

Por fim, outra entidade sediada no Vida, o Instituto Pró-Saúde criou um canal no YouTube, no qual são disponibilizadas aulas de ginástica, meditação, além de dicas de saúde e bem-estar para ajudar todos a manterem-se saudáveis física e mentalmente nesse momento de distanciamento social.

São essas e tantas outras ações que mostram que a FGTAS é uma instituição fundamental para a execução das políticas públicas de trabalho, emprego e desenvolvimento social do RS e que sua maior riqueza é o capital humano.

Texto: Jaíne Martins/Ascom FGTAS
Edição: Secom

EaD UNIJUÍ – 100% a distância

12 de maio de 2020
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados
Skip to content