Empresa amanhece de portas fechadas e pede recuperação judicial – NoroesteOnline.com

Empresa amanhece de portas fechadas e pede recuperação judicial

2 de outubro de 2018
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A situação que pegou muitos agricultores de surpresa foi encontrar os portões fechados da empresa Precisão Agro em Augusto Pestana, na manhã de quinta-feira, 27 de setembro de 2018. Tal fato foi registrado após boatos na cidade sobre a empresa estar passando por dificuldades, o que levou muitos agricultores buscarem produtos e faturarem soja desde segunda-feira, 24, além de buscarem esclarecimentos.
O agravante da situação e para descontentamento do agricultor, se gerou após a falta de esclarecimentos por parte dos proprietários, que não apareceram na empresa desde aquela data. Alguns agricultores, ainda na manhã de quinta-feira, faziam vigília em frente a empresa em busca de respostas.
O Jornal Correio Regional e principal meio de comunicação em Augusto Pestana, buscou informações com funcionários, porém, preferiram não se manifestar até o momento. Outra fonte nos indicou uma busca de alternativas, porém nada se tinha definido até às 11 horas da quinta-feira (27/09) e até o fechamento da edição impressa, às 18 horas, ninguém retornou nosso contato.
Fontes indicavam que os donos tinham pedido dois dias, 48 horas, para apresentar uma solução, o que não se confirmou até o final do expediente de quarta-feira, 26. Por precaução, os funcionários não abriram as portas da empresa na quinta-feira, por também não terem um posicionamento dos chefes e para evitar algum possível incidente na empresa.
A empresa Precisão Agro Comércio e Representações LTDA atua no mercado há mais de 21 anos em Augusto Pestana nos segmentos de insumos, sementes, adubos e transporte rodoviário.

Pedido de Recuperação Judicial

A empresa Precisão Agro entrou com um pedido de recuperação judicial no Fórum de Augusto Pestana ontem, segunda-feira, 01 de outubro de 2018.
A informação ainda não é confirmada pela Justiça de Augusto Pestana, porém o processo 149/1.18.0000819-6 indica o pedido feito pela empresa nesta comarca. A partir de hoje o processo se encontra com o Juiz Rodrigo Kern Faria que irá decidir se aceita ou não a recuperação judicial.

     O pedido não foi confirmado pela empresa até o momento, pois a nossa redação não conseguiu contato com os donos da empresa e com o advogado Alan Provenzi, de Ronda Alta, responsável pelo processo.

Fonte: Correio Regional

Pós-Graduação Unijuí

3 de dezembro de 2018
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados
Skip to content