Audiências públicas debatem condições de uso do reservatório da CGH Igrejinha – NoroesteOnline.com

Audiências públicas debatem condições de uso do reservatório da CGH Igrejinha

29 de novembro de 2019
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A semana que passou foi de importantes ações referentes à construção da Central Geradora Hidrelétrica (CGH) Igrejinha, em andamento no município de Boa Vista do Cadeado, na comunidade de Ponte Queimada. Nos dias 26 e 27 de novembro, foram realizadas duas audiências públicas, coordenadas pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental – FEPAM, com o objetivo de debater o Plano Ambiental de Conservação e Uso do Entorno e das Águas do Reservatório – PACUERA, da usina em questão. Os eventos aconteceram, respectivamente, nas câmaras de vereadores de Boa Vista do Cadeado e Jóia, sempre às 19h e foram divididos em quatro momentos: a apresentação da FEPAM; dos empreendedores (Boa Vista do Cadeado Energia Ltda.); a apresentação do Pacuera por parte da consultoria ambiental (GEOMAC) e, posteriormente, o espaço para debates, podendo os presentes fazerem questionamentos ou sugestões para melhorias do plano.

Por parte da FEPAM, as audiências tiveram as participações de Manuel Eduardo de Marcos, arquiteto e coordenador dos encontros; Nina Rosa Lages, geógrafa; Anita Macedo de Campos, bióloga e Leonardo Gruber, geólogo, que além das audiências, realizaram uma vistoria na obra, na quarta-feira. Segundo Manuel de Marcos, a obra altera a forma como as pessoas acessam e se relacionam com o rio Ijuizinho ao longo do reservatório. “O reservatório não muda porque já tem um barramento ali, mas as exigências do órgão ambiental são de que as Áreas de Preservação Permanentes (APPs), que são do empreendimento, sejam recuperadas e que apenas parte delas possam ter utilização que não seja da preservação ambiental”, explica ele. De acordo com a proposta do PACUERA, as áreas de APPs serão cercadas, deixando apenas acessos para dessedentação de animais, com possibilidades de uso para lazer. “Todas essas relações se alteram a partir da operação do empreendimento e tudo isso é debatido durante essas audiências públicas”, salienta.

A população ainda pode contribuir com sugestões a respeito do empreendimento, que podem ser protocolados até 04 de dezembro próximo, quarta-feira, na sede da FEPAM, no Balcão de Licenciamento Ambiental Unificado, ou ser enviadas para o e-mail [email protected]. O documento também pode ser acessado nos endereços eletrônicos http://www.ceriluz.com.br/images/pacuera.pdf e www.coprel.com.br/uploads/5448161b-79fd-4dd6-9f4b-008b40170c1e.pdf.

A CGH Igrejinha recebeu a Licença de Instalação (LI) da FEPAM no final de 2017 e está sendo implantada no leito do rio Ijuizinho aproveitando a base estrutural de uma antiga barragem existente no local, portanto, praticamente sem gerar elevação do nível do rio, já que a altura da barragem não será ampliada. A Ceriluz é detentora de 61% dos ativos da Boa Vista do Cadeado Energia Ltda., empresa responsável pelo empreendimento, enquanto a Coprel responde por 39%. No total a usina terá 4,85 Megawatts (MW) de potência instalada e tem um investimento estimado em R$ 30 milhões. No momento a obra está no estágio de adequação da área para a construção da barragem, abertura dos canais de adução e preparação do espelho rochoso para a perfuração do túnel adutor, previsto para iniciar na próxima semana.

Vestibular de Medicina UNIJUÍ 2020

29 de novembro de 2019
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados
Skip to content