Blog da Sandra: Por que a participação dos pais na vida escolar dos filhos é tão importante? – NoroesteOnline.com

Blog da Sandra: Por que a participação dos pais na vida escolar dos filhos é tão importante?

22 de outubro de 2019
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Por: Sandra De Faveri

Essa semana recebi de uma pessoa muito querida para mim um vídeo do Mário Sergio Cortella que trazia uma questão importante: por que a participação dos pais na vida escolar dos filhos é importante? O tema que se traz para essa discussão é importante e permeia as discussões de professores e pais. A importância da participação dos pais na vida escolar dos filhos, sem dúvida alguma é fundamental. E essa importância perpassa o senso comum e o seu entendimento vai além.

Sendo assim, é necessário analisar alguns pontos importantes para se chegar à resposta da pergunta proposta no título do texto. Primeiramente é necessário destacar que a família é a base de tudo e de todas as relações sociais que teremos vida a fora. Mas, atualmente, a composição familiar mudou. Não se tem mais a configuração tradicional, composta por pai, mãe e filhos. A formação familiar é outra. Hoje temos famílias compostas por pessoas que vivem juntas, que se ajudam, mas não são casadas “no papel”. Também se tem indivíduos do mesmo sexo que têm filhos e assumem a criação juntos. Enfim, a concepção familiar é outra.

Isso faz com que se possa perceber um outro fator: a família está em crise. E não é pelo fato dessa nova concepção. As razões vão além que um simples casamento entre homossexuais. Atualmente, o núcleo familiar (pai e mãe, pai e pai, mãe e mãe) precisam sair de casa em busca do sustento. Antes era papel da mulher cuidar da casa e da educação dos filhos, e cabia ao homem prover o sustento de todos. Mas essa realidade mudou.

A família mudou e essa mudança, consequentemente, atinge a escola. A escola contemporânea emerge com novas exigências educacionais. A escola de hoje não é (e nem deve ser) a mesma de anos atrás. Lopes (2014, p, 01) afirma que “atualmente, a família tem passado para a escola a responsabilidade de instruir e educar seus filhos e espera que os professores transmitam valores morais, princípios éticos e padrões de comportamento, desde boas maneiras até hábitos de higiene pessoal”. Justificam alegando que trabalham cada vez mais, não dispondo de tempo para cuidar dos filho.

Há, no contexto escolar, uma inversão nos papéis que cada sujeito desempenha. Pode-se observar que a família passa para a escola responsabilidades que são suas. Cortella no vídeo que recebi mostra isso claramente. E as escolas, ao invés de ensinar, precisam desempenhar funções que não são suas. As famílias afirmam que não tem como cuidar de seus filhos porque necessitam trabalhar. A escola tem a certeza que o sucesso escolar de seus alunos depende da participação familiar em todo o processo. E assim, se tem um impasse que há muito tempo vem sendo alvo de estudos e considerações.

Já foi constatado que a influência familiar na vida escolar de seus filhos é importante na medida em que é ela que oferece o suporte necessário para que a aprendizagem de fato aconteça. Tanto a família, quanto a escola são parceiras e corresponsáveis por sujeitos que estão inseridos em uma sociedade que, sabidamente, vive seus dilemas, seus conflitos e situações que nem sempre são saudáveis. Destaca-se o importante papel que a escola possui. Isso não há como negar. Porém, existente também a necessidade de que escola e família possam caminhar juntas, almejando a aprendizagem de seus alunos.

A educação não é algo que apenas a escola pode dar conta sozinha. É preciso que a família participe e auxilie professores e direção no embate diário que é educar. Uma boa educação, como pode ser percebido, necessita do binômio família x escola. Ambas juntas, com um único objetivo: o aluno. Cabe à escola ensinar matemática, português, geografia, história, entre outras disciplinas. E cabe à família repassar valores, ideias, limites; mostrando que está engajada com a proposta da escola e com seu objetivo principal: ensinar.

Essa é uma realidade da qual não pode-se mais fugir. Pais que não vão à reunião de seus filhos, que não conhecem a professora que atende essa crianças diariamente, deixa uma lacuna muito grande e que deveria ser preenchida pela família. A escola não tem como assumir mais essa responsabilidade.

Portanto, quando se pergunta por que a participação dos pais na educação de seus filhos é importante, se pode dizer, sem dúvida alguma, que apesar das mudanças sociais e econômicas ocorridas na sociedade atual, ainda, escola e família devem desenvolver um trabalho conjunto para que seja a base do desenvolvimento pleno de sujeitos que hoje estão nas escolas.

Vestibular de Verão UNIJUÍ 2020

30 de setembro de 2019
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados
Skip to content