Confira como está a preparação dos clubes da Serra à espera do retorno do Gauchão – NoroesteOnline.com

Confira como está a preparação dos clubes da Serra à espera do retorno do Gauchão

28 de maio de 2020
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A volta do Campeonato Gaúcho ainda segue com um cenário de projeção. Em reunião com a Federação Gaúcha de Futebol (FGF), todos os 12 clubes aceitaram a proposta para o reinício da competição, atendendo algumas readequações, em virtude da pandemia do novo coronavírus. Conforme o acerto, a volta das partidas está prevista entre metade de julho e início de agosto, condicionada à liberação dos órgãos governamentais e autoridades sanitárias.

Apesar de Grêmio e Inter, a partir do decreto do Governo do RS, já reiniciarem os treinamentos, esta é uma realidade peculiar do que acontece nos demais times gaúchos. A seguir, confira a realidade da situação dos clubes à espera do Gauchão, começando pela região da Serra, representada por CaxiasJuventudeEsportivo.

Dupla Ca-Ju

Caxias e Juventude tem data programada para o retorno aos treinos. Foto: (Arthur Dallegrave/E.C.Juventude)

Caxias e Juventude já estabeleceram a previsão de retorno aos treinos. Em reuniões com a Prefeitura, foi definido que os dois times devem voltar às atividades na segunda quinzena do mês de junho.

O time grená, campão do 1° turno da competição,  já tem um protocolo definido para garantir segurança aos atletas. O mesmo ocorre no caso do Juventude. Para isso, a dupla Ca-Ju tem buscado parcerias com empresas da região para terem acessos a mais testes da Covid-19, além da remessa disponibilizada pela FGF, de 50 testes.

Quanto às finanças, o Caxias conseguiu negociar com o Sindicato dos Atletas e flexibilizou os contratos. Mas os impactos nas contas já soma quase R$ 1,5 milhão, conforme revelou o presidente do clube, Paulo Cesar Santos.

O Juventude, por sua vez, fez alguns ajustes, como o adiamento do pagamento dos direitos de imagens do elenco. Mas o principal prejuízo está quanto à queda do quadro social: “Tivemos uma redução no quadro de sócios de 25% a 30%. Redução de receitas de todas as ordens. Temos que trabalhar para minimizar o máximo a nossa despesa para fazer frente a essa situação”, declarou o presidente Walter Dal Zotto.

Antes da pausa do Gaúchão, a situação da dupla caju era bem diferente. O Caxias focava na conquista do campeonato, enquanto o  Juventude, tinha risco de rebaixamento.

Com a suspensão do rebaixamento no Gauchão deste ano, o time jaconero volta às atenções para a Série B do Campeonato Brasileiro. Já o time grená, lamenta a perda de uma boa renda para os cofres do clube.

Esportivo

Atividades ainda seguem paralisadas na Montanha dos Vinhedos. Foto: (Divulgação/Clube Esportivo)

O Esportivo, de Bento Gonçalves, foi o primeiro clube a anunciar que iria retomar os treinos. No dia 17 de abril, o anúncio causou constrangimento entre órgãos de saúde e a própria FGF. Cinco dias depois, os treinos foram interrompidos novamente. O presidente Laudir Piccoli explicou que a situação ocorreu por conta de um mal entendido. Contudo, agora, apesar do aval para a volta às atividades, o mandatário explica que não há condições.

“Hoje, estamos aptos a retornar aos treinos pelos decretos municipais e estaduais, porém, não voltamos pela questão dos custos, que está assombrando os clubes”, explicou Piccoli à reportagem.

A situação delicada é refletida na folha salarial. Sem nenhuma dispensa, os atletas negociaram a redução salarial que chegou a 70% da folha de pagamento do clube. Outros funcionários do entraram na Medida Provisória 936/2020, do Governo Federal, que possibilitou a suspensão de salários e contratos.

Apesar das reduções, o presidente do Esportivo declara que o cenário apresenta diversas complicações, onde já fez necessário o pedido de empréstimo para conselheiros: “A situação não é fácil. Alguns conselheiros emprestaram dinheiro.”

Fonte: O Sul

EaD UNIJUÍ – 100% a distância

12 de maio de 2020
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados
Skip to content