Egresso da Unijuí, Luís Fernando Irgang, tem projeto de pesquisa aprovado na Suécia - NoroesteOnline.comNoroesteOnline.com

Egresso da Unijuí, Luís Fernando Irgang, tem projeto de pesquisa aprovado na Suécia

8 de janeiro de 2021

Egresso do curso de Administração da Unijuí, Luís Fernando Irgang acumulou mais uma conquista nas últimas semanas: ele obteve a aprovação de um projeto de pesquisa pela Fundação Sueca de Conhecimento (KK Foundation). Todos os anos, a Fundação seleciona projetos com potencial para contribuir com o desenvolvimento acadêmico, tecnológico, social e econômico do País. Em 2020, 22 universidades participaram do processo seletivo, cada uma com diversos projetos aplicados. Depois de 11 etapas, o projeto de Luís Fernando, que é aluno da Universidade de Halmstad, foi classificado entre os três melhores.

Intitulado Bineco – Business Model Innovation in Information-Driven Health Ecosystems, que em tradução livre seria “Inovação em Modelos de Negócio em Ecossistemas de Saúde Direcionados à Informação”, o projeto tem o objetivo de desenhar um ecossistema de saúde inteligente, baseado na aplicação de tecnologias como Blockchain, Big Data e Internet das Coisas para a criação, desenvolvimento e comercialização de novas tecnologias para prevenção e controle de infecções relacionadas aos cuidados com a saúde – IRAS. O projeto terá início a partir da coleta de dados relacionados ao comportamento de profissionais da área da saúde durante o atendimento de pacientes hospitalares. Analisando o comportamento destes profissionais, o projeto visa envolver empresas MedTech para criar tecnologias e novas técnicas que visem prevenir e controlar IRAS a partir do controle e estímulo comportamental. Por último, como os ecossistemas de saúde são altamente complexos, o projeto contempla o desenvolvimento de estratégias para cooperação entre hospitais, empresas e associações de pacientes. Isso inclui o compartilhamento de tecnologia e conhecimento com hospitais e com a indústria brasileira.

De acordo com o jovem, o projeto prevê um investimento de 8 milhões de Coroas Suecas – o equivalente a R$ 5,2 milhões. Metade da pesquisa será financiada por empresas MedTech da Suécia; o restante pela Fundação Sueca de Conhecimento. O aporte destina-se ao custeio das atividades do projeto e ao financiamento do PhD em Ciências da Inovação na Universidade de Halmstad, de Luís Fernando.

 

Trajetória iniciada na Unijuí

Luís Fernando conta que o interesse pela carreira acadêmica surgiu ainda na Unijuí, enquanto cursava o bacharelado em Administração. Na época, ele participou de um grupo de pesquisa sobre Comportamento Organizacional. “Também tive a oportunidade de atuar como estagiário docente na disciplina de Marketing Estratégico. Em 2018, recebi o prêmio Astor Rocca de Barcellos, pelo melhor Trabalho de Conclusão (TCC) dos cursos de Administração do Estado”, lembrou.

Segundo o jovem, as experiências proporcionadas pela Universidade foram fundamentais para o aceite no mestrado em Administração, na Universidade Regional de Blumenau (Furb). Foi neste mesmo período em que a Furb iniciou uma parceria com a Universidade de Halmstad para o doutorado em Ciências da Inovação. Tendo isso em vista, Luís Fernando submeteu uma proposta de pesquisa para fazer o doutorado em Halmstad, mesmo antes de concluir o mestrado. Foi, então, aceito para um intercâmbio de seis meses.

“Em 2019, iniciei meu intercâmbio na Universidade de Halmstad. Minha pesquisa de mestrado tratava sobre inovação em gestão hospitalar e práticas de prevenção e controle de IRAS. A Suécia possui um ecossistema de saúde altamente complexo, com empresas que desenvolvem tecnologia avançada em nível global, como a AstraZeneca e Getinge. Devido à relevância da pesquisa, estendi minha permanência para mais um ano aqui.”

Com o avanço da pandemia de covid-19, a pesquisa acabou ganhando maior relevância e a universidade sugeriu que o jovem propusesse um projeto para contribuir com o desenvolvimento do ecossistema de saúde nacional. Foi então que surgiu o Bineco, em parceria com o orientador, doutor Magnus Holmén. “Foi uma grata surpresa. É um processo rigoroso e a competitividade é altíssima. A pandemia tornou a temática de prevenção e controle de infecções hospitalares relevante. No entanto, o ponto mais forte do projeto foi a inclusão do Brasil como parceiro, pois prevê a colaboração e transferência estratégica de conhecimento que pode ser benéfica para ambos os países. Fiz questão de incluir o Brasil porque o meu objetivo, enquanto cientista, é contribuir para o crescimento e desenvolvimento do meu país”.

Essa trajetória, no entanto, nem sempre foi fácil: inicialmente, Luís Fernando não possuía trabalho fixo ou renda. Em paralelo à pesquisa, ele trabalhava como autônomo limpando quintais, pintando casas, coletando e vendendo materiais recicláveis. Agora, o momento é de preparação para o projeto que terá início em abril, com duração de 3 anos. “Nesse período, pretendo produzir artigos científicos que irão compor minha tese de PhD. Além disso, estarei envolvido em workshops e palestras com gestores, médicos, enfermeiros, engenheiros e desenvolvedores, a fim de acompanhar todo o processo de desenvolvimento de protótipos”, complementou Luís Fernando, que atualmente leciona em cursos em nível de mestrado na Universidade de Halmstad.

Vestibular Verão 2021 Unijuí

23 de outubro de 2020
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados