Formiga mais rápida do mundo é capturada pela primeira vez por cientistas da Alemanha – NoroesteOnline.com

Formiga mais rápida do mundo é capturada pela primeira vez por cientistas da Alemanha

22 de outubro de 2019
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Pela primeira vez as formigas mais rápidas do mundo, as formigas prateadas do Saara, foram filmadas por dois cientistas da Universidade de Ulm, na Alemanha. Graças ao registro, produzido em 2015 no deserto tunisiano, os pesquisadores Harald Wolf e Sarah Pfeffer puderam constatar que os insetos alcançavam uma velocidade recorde de 0,855 m/s, ou seja, 108 vezes sua própria longitude corporal por segundo. Essas e outras descobertas foram publicadas em um estudo inédito na semana passada. Essa constatação faz dessas formigas proporcionalmente dez vezes mais rápidas que o velocista jamaicano Usain Bolt. As informações são da agência de notícias AFP.

Os cientistas ainda descobriram que um movimento sincronizado das patas permite que esses animais, da espécie Cataglyphis bombycinas, cheguem nessa velocidade. O segredo está no tamanho das patas, 20% menores do que as patas de suas primas das salinas tunisianas, as Cataglyphis fortis.

O truque está na técnica que adotam: as patas pequenas (medindo entre 4,3 e 6,8 mm) podem ser agitadas a velocidades incríveis e executar até 47 passos por segundo.

Se necessário, essas formigas passam da corrida ao galope, erguendo simultaneamente no ar as seis patas e repousando-as por apenas 7 milissegundos. Tudo em um movimento perfeitamente sincronizado. Com isso, elas conseguem não afundar na areia fofa.

Os pesquisadores também descobriram que as formigas são mais rápidas quando as temperaturas estão muito elevadas. Com termômetros mais amenos, a 10ºC, no laboratório, seu desempenhou caiu a 0,057 m/s. As formigas prateadas do Saara já eram famosas pela capacidade de buscar comida caminhando em dunas com areia escaldante a temperaturas de até 60ºC.

O vídeo coletado pelos pesquisadores mostram a Cataglyphis bombycina, nome científico das formigas prateadas, planando, tamanha velocidade de deslocamento em relação a seus corpos.

A razão pela qual as formigas prateadas do Saara evoluíram de forma diferente no deserto está no fato de elas buscarem os restos de animais que sucumbem ao calor do sol, enquanto outras espécies se escondem do sol a pico.

Para sobreviver às condições adversas da região, essas formigas possuem pelos finos e prateados, que refletem os raios do sol que incidem sobre suas costas. Entretanto, elas não sobrevivem muito tempo sob o calor. Os pesquisadores descobriram que elas aguentam temperaturas de até 60º C.

Para descobrir a velocidade dos insetos, os pesquisadores colocaram placas de alumínio na saída dos formigueiros e gravaram enquanto elas iam e vinham pelo caminho obrigatório com câmeras de alta velocidade.

Vestibular de Verão UNIJUÍ 2020

30 de setembro de 2019
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados
Skip to content