Homens também podem sofrer de depressão pós-parto, dizem estudos – NoroesteOnline.com

Homens também podem sofrer de depressão pós-parto, dizem estudos

10 de agosto de 2018
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Pesquisas sugerem que tanto homens quando mulheres experimentam algum tipo de depressão após o nascimento de uma criança, segundo pesquisas apresentadas em Congresso da Associação Americana de Psicologia (APA) nesta quinta-feira (9).

Cerca de 10% dos novos pais experimentam algum tipo de depressão e até 18% têm algum tipo de transtorno de ansiedade, mostraram especialistas, como Dan Singley, professor na Universidade de San Diego, nos Estados Unidos. Os dados são da Organização Mundial da Saúde.

Singley explica que a prevalência de sintomas depressivos é comparável entre mães e pais novos — e afirma que a depressão pós-parto não pode ser vista enquanto questão emocional feminina somente.

“A depressão pós-parto não pode mais ser vista como uma variante patológica dos processos reprodutivos femininos. O paradigma existente deve ser modificado” — Dan Singley (Universidade de San Diego – EUA).

Alguns motivos para a depressão neles, segundo cientistas:

  • A privação de sono neles, assim como nas mães, é o principal fator para o surgimento de sintomas de depressão;
  • A falta de sono e o tempo longe do trabalho também aumenta a ansiedade;
  • Dificuldades de entender o novo papel de pai;
  • Dúvidas sobre ser ou não um pai competente.

Em matéria da BBC, o jornalista britânico Martin Daubney que sofreu de depressão pós-parto, contou sua experiência. Confira trecho do seu relato.

“Assim como muitas pessoas, eu fiz piada com o conceito de depressão pós-parto para homens. Pelo menos, até o dia 29 de maio de 2009 (…) Pensei que a paternidade me transformaria num super-herói. Mas eu me senti como um superfracasso. Achei que era tudo minha culpa. Nos meses que se seguiram, caí em depressão e sofri calado com os flashbacks do nascimento do meu filho. Eu trabalhava até mais tarde porque não queria voltar para casa. Fiquei sem fazer sexo – que via como a causa de tudo.”

Homens não procuram serviços de saúde

A suspeita de que a questão da depressão pós-parto não é somente hormonal começou a aparecer na ciência quando pesquisadores observaram que pais e mães adotivos também apresentavam sintomas depressivos, diz Sara Rosenquist, pesquisadora do Centro de Psicologia de Saúde Reprodutiva na Universidade Estadual da Carolina do Norte.

“A narrativa predominante atribuiu essas experiências a mudanças hormonais e flutuações especificamente relacionadas à gravidez e parto”, disse Sara Rosenquist, pesquisadora (Universidade Estadual da Carolina do Norte). “

Um dos motivos pelos quais a depressão pós-parto em homens é pouco falada é que homens tendem a não procurar serviços de saúde mental durante o período, diz Singley.

Também profissionais de saúde não recebem treinamento adequado para identificar e tratar essas questões em homens durante o período.

Precedente na antropologia e alterações hormonais masculinas

Observações de antropólogos já mostravam que homens às vezes exibem sintomas semelhantes de parceiras na gravidez — como náuseas, azia, dor abdominal, inchaço e alterações no apetite.

Outras pesquisas também demonstraram que o contato próximo com parceiras também pode induzir alterações hormonais em homens e o surgimento de instintos paternos.

Homens também podem apresentar níveis identificáveis de prolactina (o hormônio que estimula a produção de leite nas mulheres). Outro ponto mostrado por cientistas é que alguns também experimentam uma queda temporária na produção da testosterona logo após o nascimento do bebê.

Os especialistas enfatizaram a dificuldade de tratamento de sintomas da depressão pós-parto em homens, já que eles tendem a falar menos abertamente sobre suas dificuldades que mulheres. Também há diferenças na manifestação de sintomas entre os gêneros.

“As mulheres são mais propensas a relatar sentimentos de tristeza e choro frequente, enquanto os homens são mais propensos a se sentirem irritados e socialmente desconectados”, diz Sara Rosenquist.

Especialistas salientam a necessidade de triagem em homens, principalmente aqueles que já apresentam histórico de saúde mental. Outro ponto que pode ajudar novos pais na superação de sintomas depressivos é dividir com amigos e familiares as dificuldades emocionais do período.

Fonte: G1

Pós-Graduação Unijuí

3 de dezembro de 2018
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados
Skip to content