Na dúvida, dê livros. Por Sandra de Faveri - NoroesteOnline.comNoroesteOnline.com

Na dúvida, dê livros. Por Sandra de Faveri

14 de dezembro de 2020

PARA SEMPRE ALICE…UMA LEITURA IMPERDÍVEL

“Ali estava ela, a prova absoluta, servida pura,

sem açúcar nem sal nem água que a diluísse.

E desceu queimando. (p.87)”

 

 

Chegando mais um Natal e aquela velha dúvida: “o que comprar de presente?”. Compre livros. Dê livros. Por isso, sugiro a leitura do livro “Para sempre Alice”, que foi publicado originalmente em 2007, de autoria de Lisa Genova, a obra conta a história de Alice (que poderia ser a Maria, a Joana, a Sonia, a Lúcia, que poderia ser qualquer uma de nós). Uma mulher de 50 anos, professora de Psicologia em uma conceituada Universidade (Harvard). Uma mulher bem sucedida tanto pessoal como profissionalmente. Alice é casada, tem três filhos e uma vida que sempre buscou com estabilidade financeira e uma vida pessoal bem sucedida.

Porém, tudo isso começa a desmoronar com alguns acontecimentos que fazem Alice esquecer de coisas básicas do seu dia a dia. As lembranças não são mais as mesmas, a memória começa a falhar em alguns aspectos. A princípio são as pequenas coisas que são esquecidas: as chaves do carro, suas listas de tarefas. E de situações banais o esquecimento vai tomando conta de Alice de uma forma paulatina.

Quando os pequenos esquecimentos vão se transformando em casos completos, de coisas importantes, tais como, onde deixou o carro ou ainda de onde fica a sua casa, Alice começa a perceber que algo está errado consigo. Percebe que precisa saber o que está acontecendo com ela. A situação em que vive a personagem é angustiante: “fico apavorada ao pensar no que ando esquecendo sem sequer perceber” (p. 81).

Apesar de ter sido diagnosticada com Alzheimer, Alice tenta de todas as maneiras manter a normalidade. Seus alunos já perceberam que algo não está certo. Alice se preocupa, principalmente, com a família e com os filhos. Como contar que está doente? A reação do marido também é algo que chama a atenção nessa leitura. Acostumado com a esposa dando-lhe suporte para subir na carreira, de uma hora para outra se vê acuado com a nova realidade. Talvez seja uma reação natural, não tem como avaliar isso sem viver o problema.

Importante destacar que mesmo com todos os problemas, Alice ainda consegue idealizar um grupo de ajuda para pacientes com a mesma doença que ela. De certa forma, essa força de Alice mostra o quanto a doença pode desumanizar a pessoa e por outro lado, dar forças para não desistir e ainda poder ajudar outras pessoas.

A história de Alice é a mesma história de milhares de pessoas que tem Alzheimer. Os sintomas são os mesmos, as angústias e os medos também. Esse livro mostra de uma forma motivadora a importância de manter laços com os outros, como forma de buscar forças para continuar sempre em frente. Mesmo quando não temos mais forças, são esses laços, os laços que construímos pelo nosso caminho que nos manterão em pé.

A história de Alice é tocante, muito também, pela força de vontade que emana de todo ser humano que precisa ter forças para lutar, muitas vezes, sem saber contra quem.

 

Vestibular Verão 2021 Unijuí

23 de outubro de 2020
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados