Preço alto e desemprego afastam clientes dos planos de saúde – NoroesteOnline.com

Preço alto e desemprego afastam clientes dos planos de saúde

15 de setembro de 2019
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A elevada taxa de desemprego e o alto preço dos convênios médicos têm colocado os planos de saúde na UTI. Segundo dados do IESS (Instituto de Estudos de Saúde Suplementar), os convênios figuram com menos de 47 milhões de beneficiários pela primeira vez desde março de 2012.

O levantamento aponta que mais de 93 mil vínculos foram rompidos com os planos de saúde somente entre os meses de abril de julho deste ano. Na avaliação dos últimos 12 meses finalizados em julho, a perda de clientes alcança os 133 mil.

O superintendente executivo do IESS, José Cechin, afirma que a fuga dos clientes dos convênios médicos é motivada pelo clima de incerteza, recessão econômica e a taxa de desemprego, que hoje aflige mais de 12 milhões de brasileiros.

“No momento em que a pessoa perde o emprego, ela enfrenta mais dificuldade para manter um plano de saúde. Muitas vezes a família se apertam e reduzem gastos supérfluos, mas chega um momento em que não existe mais o que cortar e deixa o plano de saúde, ainda que contra a própria vontade”, analisa Cechin.

Atualmente, os planos coletivos empresariais somam 31,5 milhões e representam 67% do total de convênios médico-hospitalares no Brasil. As contratações individuais ou familiares são 9 milhões (19,2%).

O advogado e professor José Luiz Toro, especialista em saúde suplementar, atribui ainda a baixa no número de cliente dos convênios de saúde ao elevado custo para bancar o benefício de fora de um coletivo. “Acabam ficando nos planos apenas as pessoas que precisam”, observa ele.

Fonte: Correio do Povo

Vestibular de Verão UNIJUÍ 2020

30 de setembro de 2019
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados
Skip to content