Processo para despoluir o Arroio Dilúvio é iniciado, informa a prefeitura de Porto Alegre - NoroesteOnline.comNoroesteOnline.com ">

Processo para despoluir o Arroio Dilúvio é iniciado, informa a prefeitura de Porto Alegre

10 de maio de 2022

O prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, anunciou nesta terça-feira (10) o início dos estudos para a licitação de contratação de projetos para a Operação Urbana Consorciada na avenida Ipiranga. Com o instrumento urbanístico, será possível construir um parque linear e despoluir o Arroio Dilúvio.

O anúncio foi feito durante visita de Melo e sua comitiva à cidade de Copenhague, na Dinamarca. “Queremos seguir o exemplo da capital dinamarquesa de despoluição e reutilização de canais que eram degradados há alguns anos e hoje têm perfeita integração com a vida urbana. O conjunto de intervenções tem custo alto e seguiremos no caminho da parceria, que está no DNA da nossa gestão, para atrair investimentos ao entorno da Ipiranga e, assim, viabilizar essa transformação em Porto Alegre”, declarou o prefeito.

A recuperação de canais que percorrem Copenhague serve de referência para todo o mundo. Depois de décadas recebendo toneladas de esgoto e dejetos da indústria, os arroios foram transformados. As redes de água e esgoto foram refeitas, e o lixo passou a ser reciclado e incinerado. Barreiras de transbordamento foram instaladas, e um complexo sistema de alarmes de monitoramento de marés foi implantado. Atualmente, moradores e turistas podem nadar em piscinas públicas artificiais.

“Estamos trabalhando na revitalização ambiental e urbana de um curso d’água, com impactos positivos na resiliência da cidade, adaptação aos efeitos negativos das mudanças climáticas e revitalização urbana de toda a região”, afirmou o secretário municipal do Meio Ambiente, Urbanismo e Sustentabilidade, Germano Bremm.

Operação Urbana Consorciada

O modelo prevê uma regulamentação urbanística específica para a região da avenida Ipiranga, com definição de contrapartidas financeiras, incentivos ao adensamento populacional e permissão para construção de grandes edificações. Estudos preliminares apontam que, em 30 anos, seria possível arrecadar R$ 1,5 bilhão, recursos que serão utilizados para financiar as obras de despoluição do Dilúvio, desassoreamento e o trabalho de contenção e reflorestamento das margens do arroio.

Fonte: O Sul

Pós-Graduação Unijuí – Para quem reinventa o amanhã

29 de março de 2022
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados