Everton e Rodrigo Dourado deixam futuro em aberto – NoroesteOnline.com

Everton e Rodrigo Dourado deixam futuro em aberto

3 de dezembro de 2018
Compartilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Premiados com a Bola de Prata junto com Geromel e Cuesta, destaques da Dupla confirmam interesse do Exterior.

Um dia após o encerramento do Brasileirão, quatro jogadores da dupla Gre-Nal foram premiados com a Bola de Prata nesta segunda-feira, em um teatro de São Paulo, integrando a seleção do campeonato. A zaga é toda “gaúcha” : Geromel e Victor Cuesta. O volante Rodrigo Dourado e o atacante Everton também foram incluídos. Em entrevista logo após receberem o troféu, os dois últimos deixaram o futuro em aberto, mantendo viva a possibilidade de transferência para o futebol europeu.

Everton chegou a cogitar a saída em seguida ou daqui a seis meses. “Tenho o desejo de jogar na Europa, em alto nível. É um sonho desde criança, espero que possa se realizar. Não sei se agora ou no meio do ano… Agora vou sair de férias, aproveitar a família, e quando voltar a gente decide”, disse o atacante do Grêmio, ao ser questionado sobre o interesse do Manchester United.

A resposta foi parecida com a de Rodrigo Dourado. “Agora quero descansar, aproveitar as férias, foi um ano muito desgastante. Sempre disse que quero jogar na Europa, mas tem que acontecer no momento certo”, disse o volante do Inter. Ato falho ou não, o meio-campista falou do seu tempo no Beira-Rio no tempo passado, mudando em seguida: “Fui muito feliz no Inter, tenho 12 anos de clube, desde as categorias de base… Sou feliz aqui dentro”. Diante da insistência se o momento de sair pode ter chegado, respondeu: “Vamos decidir mais para frente”.

Everton comentou ainda a confusão da final da Libertadores, entre River Plate e Boca Juniors: “O culpado disso tudo é apenas um: a Conmebol. Ela prioriza times argentinos, e a nossa eliminação foi um exemplo disso”, disparou. “Lamentamos. Poderia ter sido com a gente”, acrescentou Geromel.

Geromel, aliás, estabeleceu um recorde: é o primeiro jogador a ganhar a Bola de Prata por quatro anos consecutivos. “É uma satisfação muito grande, ainda mais que tive a felicidade de trazer meus avós, que me apoiaram muito no início da carreira, e eles me viram citado como o primeiro jogador premiado quatro vezes seguidas”, comentou o zagueiro. “Isso me dá motivação para já começar bem na pré-temporada, fazer um grande trabalho e estar aqui ano que vem de novo”.

Seu parceiro de zaga, Victor Cuesta, foi estreante no prêmio e na própria Série A do Brasileirão. “Foi meu segundo ano aqui no Brasil, o primeiro na elite. Então fico muito honrado com esse prêmio”, lembrou o argentino, que fez um balanço positivo da temporada do Inter. “Foi um ano muito difícil, começamos mal no Gauchão, melhoramos no Brasileirão… Não chegamos a ganhar o título, mas conseguimos uma vaga na Libertadores que vai ser importante para o clube voltar a ser o que sempre foi”, acredita Cuesta.

Criada em 1970, atualmente realizada pela ESPN, a Bola de Ouro premia os melhores jogadores do campeonato por posição em uma média ao longo de todo o campeonato. Parte da nota é atribuída de forma objetiva, com levantamento científico do scout de cada jogo, e parte é dada por jornalistas assistindo aos jogos nos estádios. A seleção completa deste ano teve: Weverton (Palmeiras); Mayke (Palmeiras), Geromel, Cuesta e Renê (Flamengo); Dourado, Bruno Henrique (Palmeiras), Lucas Paquetá (Flamengo), Dudu (Palmeiras) e Everton; Gabriel (Santos). Técnico: Luiz Felipe Scolari (Palmeiras). Árbitro: Rafael Traci (PR). O Bola de Ouro, prêmio dado ao craque do campeonato, o jogador com a média mais alta entre todos, foi o atacante Dudu.

O evento celebrou o futebol brasileiro de outras maneiras. Marta, eleita a melhor jogadora do mundo pela sexta vez, recebeu homenagem especial e entregou a Bola de Ouro a Dudu. Pelé, que não estava presente por motivo de saúde, foi saudado junto com outros personagens históricos do futebol brasileiro, apresentados como Amigos do Rei: Pepe, Edu e Mengálvio. Outros camisas 10 históricos, como Rivellino e Alex, foram lembrados e entregaram prêmios. Os prêmios de Geromel e Cuesta foram entregues por Iarley.

Pós-Graduação Unijuí

3 de dezembro de 2018
Copyrights 2018 ® - Todos os direitos reservados
Skip to content